NOTÍCIAS

Ceará 17:46, 14 dez 2017 Ceará Científico: estudantes apresentam ações inovadoras em grande feira na capital

Foto:

 Observando a crise hídrica que acomete o território cearense, num cenário de chuvas abaixo da média há mais de cinco anos, um grupo de estudantes da Escola de Ensino Médio (EEM) Zélia de Matos Brito, em Guaramiranga, desenvolveu um artefato para auxiliar no cultivo de plantas, tendo como base o reaproveitamento da água. O projeto, denominado "Sistema Aquapônico no Âmbito Escolar: uma alternativa econômica, simples e sustentável", proporciona a colheita de vegetais saudáveis e orgânicos, que têm sido utilizados na merenda dos alunos, e tem servido de modelo para agricultores da região.
 
Esta é uma das 185 ações inovadoras apresentadas na etapa estadual do Ceará Científico, evento promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação (Seduc), que incentiva a produção de pesquisa no ambiente escolar. O evento ocorre no shopping Iguatemi até esta sexta-feira (15).
 
O mecanismo utiliza um motor, um tanque de peixes, uma câmara para cultivo e um reservatório de hidroponia. Conforme explica o estudante Marco Antônio Teixeira, que cursa a 3ª série, o sistema funciona perfazendo um ciclo. "As fezes dos peixes, que contêm amônia, são bombeadas para a câmara de cultivo, onde se acumulam e sofrem a ação de bactérias. O que era amônia transforma-se em nitrato, que é considerado um fertilizante vegetal. Então, na etapa seguinte, as plantas absorvem esta substância e se desenvolvem, ao mesmo tempo em que purificam a água, que antes continha dejetos. Esta mesma água, agora limpa, volta ao tanque dos peixes, recomeçando assim o ciclo", esclarece.
 
A economia de água com a utilização do sistema chega a 90%, de acordo Marco Antônio. A ação é apresentada na categoria "Educação Ambiental Científica". Ainda segundo o jovem, o interesse dos alunos a respeito do tema aumentou após a iniciativa, e até outras escolas, de níveis fundamental e médio, têm solicitado exposições.
 
 
Letras
 
Disseminar o gosto pela leitura - principalmente pela poesia - tanto dentro, como fora da escola. Este é o principal objetivo do projeto "Poesia é Massa", concebido por estudantes da Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Joaquim Filomeno Noronha, de Parambu. Para colocar a ideia em prática, os alunos propuseram uma parceria com panificadoras da cidade, para que as embalagens dos pães vendidos fossem acompanhadas por um texto lírico. Cinco empresas aderiram à iniciativa.
 
"Os donos das padarias nos cedem os sacos de pães, para que colemos uma poesia impressa, e em seguida nós os devolvemos, para que sejam distribuídos junto com os pães aos consumidores. Assim, a pessoa leva pra casa alimento tanto para o corpo, como para a alma", descreve Riquelme Lopes, que cursa a 1ª série em Administração na escola.
 
"Quando o projeto parou, por algum tempo, a população sentiu falta e cobrou o retorno da ação. É um gênero literário tão importante, e tão escasso hoje na sociedade", complementa o jovem. O projeto concorre na categoria "Linguagens".
 
 
Auxílio
 
Entre os desafios vivenciados por quem tem cegueira, está o de locomover-se tendo que desviar de obstáculos, sem poder enxergá-los. Tendo em vista este contexto, alunos da EEEP Isaías Gonçalves Damasceno, de São Benedito, desenvolveram um guia inteligente para auxiliar na locomoção destas pessoas. O projeto, que recebeu o nome de "Órasi", consiste numa espécie de bengala com rodas, equipada com um um conjunto de sensores que avisa ao usuário quando algum objeto está no caminho.
 
De acordo com o aluno Glauber Costa, o aparelho emite sinais sonoros a um fone de ouvido integrado. "Se há algum obstáculo mais próximo ao lado direito, o som sai apenas no fone direito, e o mesmo acontece com o lado esquerdo, gerando à pessoa melhor noção de espaço. Quanto mais próximo da barreira, mais rápida será a repetição dos sons emitidos", demonstra.


 
A máquina utiliza a plataforma digital Arduino e funciona com uma bateria. Na continuidade da pesquisa, o objetivo é fazer com que o equipamento seja alimentado por energia solar. Além disso, Glauber, junto com colegas e professor orientador, pretendem adicionar mais uma funcionalidade ao mecanismo: oferecer resposta por meio de sinais vibratórios, para que funcione com eficiência também em ambientes barulhentos.
 
 
Evento
 
O Ceará Científico segue com exposição aberta ao público durante esta quinta e sexta-feira, das 10h às 22h, no Espaço Jangada do Shopping Iguatemi. Às 20h de sexta  será feita a cerimônia de premiação aos projetos mais bem avaliados.
 
Antes de chegar à etapa estadual, a ação passou pelas fases escolar e regional. A primeira foi realizada em cada uma das unidades de ensino, em que foram contabilizados mais de 5 mil trabalhos inscritos. Avançaram para o momento seguinte as produções melhor qualificadas em cada escola, tanto estaduais, como municipais. A etapa regional ocorreu na área de abrangência de cada uma das 20 Credes e Sefor, movimentando as cidades e a população em prol da popularização das ciências. Os primeiros lugares, em cada categoria, ganharam credencial para participar da etapa estadual, da qual participam 185 produções, ao todo.
 
As oito categorias são: Linguagens, Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Matemática e suas Aplicações, Robótica Educacional, Educação Ambiental Científica, Educação Ambiental Artístico-cultural e Pesquisa Júnior – Ensino Fundamental.
 
Conduzida e desenvolvida pelos estudantes, sob orientação de seus professores, a ação pedagógica visa incentivar a produção e a dinamização do conhecimento no contexto da sala de aula, da escola, da comunidade, da sociedade e do mundo, por meio da vivência do protagonismo estudantil.
 
O Ceará Científico incentiva a construção de projetos que promovam a integração curricular das disciplinas, enaltecendo a interdisciplinaridade. Além disso, a ação visa estimular parcerias entre instituições acadêmicas ou educacionais com as escolas e, ainda, promover o intercâmbio artístico, científico e cultural no âmbito escolar, comunitário e social.
 
 
Jogos
 
Além das apresentações de projetos científicos e culturais, o evento terá o espaço "Arena Games", com competições de jogos eletrônicos e de tabuleiro. Haverá, também, um observatório portátil de astronomia para contemplação do céu.
 
A ação ocorre em parceria com a Seara da Ciência da Universidade Federal do Ceará (UFC), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), o Shopping Iguatemi, a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado (Secitece), a Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Centro de Educação a Distância do Ceará (CED) e outros órgãos de fomento à pesquisa do Estado.
 
 
Estímulo
 
Além desse trabalho, a Seduc desenvolve e apoia diversas ações em educação científica, o que propicia a participação de alunos e professores em projetos e pesquisas no dia a dia da escola e em eventos como feiras, mostras e olimpíadas.
 
Nos últimos anos, é possível verificar que os estudantes da rede estadual participam e conseguem destaque nos maiores eventos nacionais e internacionais, como a Feira Brasileira de Ciência e Engenharia (Febrace), a  Intel-ISEF e a Genius International High School Project Competitions, nos Estados Unidos.


Serviço: Etapa Estadual do Ceará Científico
Quando: 14 e 15 de dezembro de 2017
Horário: de 10h às 22h
Onde: Espaço Jangada do Shopping Iguatemi (ao lado do Extra)
Av. Washington Soares, 85 - Edson Queiroz, Fortaleza-CE
 
 

14.12.2017
Bruno Mota
Assessoria de Comunicação da Seduc
imprensa@seduc.ce.gov.br


Tags: Ceará Ciência e Tecnologia Portal CE Conhecimento Fortaleza Estaudantes Jovens