NOTÍCIAS

Interação 12:15, 30 jan 2017 Valores humanos são reforçados com jogos e recreações no CEM Oquerlina Torres, em Guaraí

Estudantes participam de ativiades recreativas envolvendo órgãos dos sentidos Projeto Arena Recreativa reúne professores e estudantes em atividades recreativas Estudantes do CEM Oquerlina Torres de Guaraí participam de Jogos recreativos Professores e estudantes interagem em brincadeiras que valorizam a cooperação
Foto: Divulgação

Abrão de Sousa / Governo do Tocantins

O Centro de Ensino Médio Oquerlina Torres, do município de Guaraí, jurisdicionado à Diretoria Regional de Educação de Guaraí realizou no sábado, 28, a 2ª edição do projeto Arena Recreativa. O tema abordado foi Jogos Cooperativos e Danças Circulares e teve como objetivo fornecer subsídios teóricos e práticos sobre a recreação e o lazer nos diferentes contextos da práxis recreativa.

O resgate dos valores humanos como a amizade, a cooperação, a solidariedade e o respeito na construção de regras, normas e atitudes positivas fez parte da discussão abordada nos temas em diversas brincadeiras no evento. As atividades contribuíram para a formação do pensamento crítico dos estudantes para tomada de atitudes nos meios sociais.

Para Ana Rachel da Silva, professora de Educação Física e uma das organizadoras do evento, a dança circular, naturalmente, é cooperativa e desperta  vários sentimentos. “O sentimento de união do grupo e o espírito comunitário se instalam, a partir do momento em que todos dão-se as mãos e auxiliam os companheiros de forma solidária”, ponderou.

A recreação é uma das possibilidades do lazer que proporciona diversão, entretenimento e prazer. Ana Rachel ainda aponta que a dança desenvolve a capacidade de recriar dos envolvidos. “Proporciona a criação e recriação de jogos, de brinquedos e de brincadeiras inerentes à cultura humana” concluiu.

 Professores e estudantes participaram juntos com a interação de “Fair play”, um espécie de jogo justo que busca diminuir a competitividade e valorizar a socialização da comunidade escolar, envolvendo professores, alunos e equipe administrativa.

Para Priscilla Arataque Gomes Lomazzi, diretora do CEM Oquerlina Torres, a competição acontece de forma harmônica e respeitosa. “A sociedade em que vivemos é muito competitiva  demonstrando o espírito esportivo de muita disputa que busca sempre vencer os jogos a qualquer custo. Entretanto, buscamos quebrar paradigmas sociais de que  conteúdos escolares, em especial, da Educação Física, sejam subordinados ao modelo capitalista de busca por competição, segregação e desvalorização do menos hábil, uma valorização demasiada do jogo, no qual apenas a vitória é buscada e valorizada. A proposta do projeto Arena Recreativa é adequada para minimizar consequências negativas de uma sociedade extremamente competitiva”, finalizou.