NOTÍCIAS

Rio Grande do Norte 08:27, 2 mar 2020 Turma de Educação de Jovens e Adultos democratiza acesso ao ensino

Turma de Educação de Jovens e Adultos democratiza acesso ao ensino

Mediada pela SEEC, iniciativa conta com 70 alunos, cujas aulas iniciarão neste mês

Modalidade educacional destinada a jovens e adultos que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos regulares, a Educação de Jovens e Adultos (EJA) tem por objetivo democratizar o acesso à educação.  Pensando nisso, a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC) iniciou, no mês de fevereiro, a implantação de turmas de EJA voltadas para os funcionários do Cajueiro de Pirangi, maior cajueiro do mundo, ponto turístico localizado no município de Parnamirim (RN). 

Ao todo, quatro turmas estão sendo formadas, que contemplarão os funcionários -  e também seus familiares - do conhecido ponto turístico do estado potiguar. Até o momento, são 70 alunos matriculados, que participarão de aulas regulares, no turno noturno, a partir deste mês. 

A inciativa é realizada por meio de uma parceria entre a Subcoordenadoria de Educação de Jovens e Adultos (Sueja) e a rede municipal de Parnamirim, através da Escola Municipal Dep. Erivan França, que irá sediar o espaço para a as aulas, e também do Instituto de Defesa do Meio Ambiente (Idema), órgão gestor do Cajueiro. 

A subcoordenadora de Educação de Jovens e Adultos, Liz Araújo, explica que a iniciativa para formação das turmas surgiu a partir de uma demanda apresentada pela gestora do Cajueiro e funcionária do Idema, Marígia Madge, que solicitou a SEEC afim de estabelecer um atendimento educacional para o ensino fundamental e médio de seus funcionários do local. 

“Primeiro a SEEC foi ao local para identificar as pessoas, as demandas. A partir dessa identificação, optamos por implantar turmas de educação básica, na modalidade de EJA, formando quatro turmas: uma para o primeiro segmento (que compreende os cinco primeiros anos do ensino fundamental), duas turmas para o segundo segmento (que contemplam do 6º ao 9º anos do fundamental) e uma última turma para o ensino médio”, explica a subcoordenadora. 

Além das instituições citadas, também colabora com a iniciativa o Instituto de Educação Superior Presidente Kennedy (Ifesp). Segundo explica Liz, a ideia é que ao concluírem o ensino médio, os alunos possam concorrer aos processos seletivos ofertados pelo Instituto. 

Avaliação 

Ainda de acordo com a subcoordenadora, o Governo do RN é aberto à diversidade, e se propõem a levar a educação e a escola aos lugares no quais há grupos de pessoas que queiram estudar. Segundo ela, a Sueja atende um público variado, enviando educadores para assentamentos, presídios, entre outros lugares. 

“Essa é a educação na qual nós acreditamos. A educação tem que ir aonde há a necessidade, aonde as pessoas querem estudar mas não há como, pois a formalidade da escola regular não cabe na necessidade desse público. Enquanto subcoordenadora, eu me sinto muito bem coordenando uma modalidade que acolhe todo esse público, e me sinto melhor porque eu sei que faço parte de um governo popular e que acolhe esse público”, avalia. 


Tags: Rio Grande do Norte EJA RN