NOTÍCIAS

Ciências 16:49, 25 jun 2019 Trinta estudantes alagoanos conquistam medalhas na OBFEP

Trinta estudantes da rede pública foram premiados Luiz Elias falou sobre a sua experiência com a OPFEP Laysa Santos, de Santana do Ipanema, quer seguir carreira na área Secretária Laura Souza falou da importância da carreira científica Premiados da Escola Tiradentes da Polícia Militar Trinta estudantes da rede pública foram premiados Estudantes de Santana do Ipanema foram premiados Laysa Santos, de Santana do Ipanema, quer seguir carreira na área Trinta estudantes da rede pública foram premiados
Foto: José Arnaldo

Participação na competição estimula carreira nas ciências exatas em estudantes alagoanos

Texto de Ana Paula Lins e José Arnaldo

Trinta estudantes da rede pública alagoana foram premiados na última terça-feira (18) em cerimônia no Centro de Formação Ib Gatto (Cenfor), no Cepa, onde receberam suas medalhas pelo desempenho na Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP). Para alguns destes jovens, a competição também abre uma perspectiva para um futuro profissional.

É o caso de Luiz Elias da Silva, ex- aluno da Escola Estadual Pedro Joaquim de Jesus, de Teotônio Vilela e hoje acadêmico de Engenharia Civil na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Ex-medalhista, o jovem descobriu a sua vocação por meio da Olimpíada e, em 2017, foi aprovado em 1º lugar de Engenharia Civil na Ufal por meio do sistema de cotas

“A OBFEP abre um leque de informações. Eu sempre tive o interesse pelas ciências exatas, sempre tive o apoio dos professores. Foi quando decidi que iria seguir a área de exatas, e posteriormente me identifiquei com a engenharia”, relata o estudante, atualmente cursando o 5º período de Engenharia Civil.

Laysa Santos, aluna da 2ª série do ensino médio da Escola Estadual Laura Chagas, de Santana do Ipanema, é bimedalhista na edição 2019 da OBFEP, tendo conquistado prata na etapa estadual e bronze na nacional.

“A física foi a área onde me encontrei. Fiquei muito tempo sem saber que área seguir, então receber essas duas medalhas foi muito gratificante. E esse ano, minha meta é a medalha de prata nacional e uma estadual novamente ”, promete a garota.

Descobrindo talentos – Presente à cerimônia de premiação, a secretária executiva da Educação, Laura Souza, lembrou que a importância da escola no despertar de vocações e como a carreira científica contribui para o crescimento do país.

“Foi na 8ª série que descobri minha paixão pela Química e isso me levou a fazer faculdade nesta área, e, posteriormente ser professora universitária. A OBFEP é uma excelente ferramenta para se estimular a carreira científica, que tanto pode contribuir para o desenvolvimento do país e o bem-estar social. Por isso, agradeço muito aos professores que abraçam essa iniciativa e estimulam seus alunos a participarem da Olimpíada”, diz Laura, destacando ainda a parceria entre Estado, Ufal e Municípios para a melhoria da educação de Alagoas.

O coordenador estadual da OBFEP, o Professor Kleber Cavalcante, do Instituto de Física da Ufal, faz uma avaliação positiva da Olimpíada. “Este ano, nós conseguimos ver um grande envolvimento das escolas do interior e, em 2019, esperamos que essa participação seja ainda maior. Além disso, Maceió sediará, em novembro, o Encontro de Físicos do Norte e Nordeste, o que é um estímulo a mais”, vislumbra Kleber.

A premiação – Ao todo, 30 alunos da rede pública receberam medalhas, dentre os quais, estudantes do Colégio Tiradentes (com 11 premiados, unidades Maceió e Agreste), Instituto Federal de Alagoas - Ifal (9 premiados, campus Maceió e Arapiraca), Escola Estadual Laura Chagas, de Santana do Ipanema (4 premiados) e o município de Santana do Mundaú, com 3 premiados pelas escolas Pequeno Príncipe e Monsenhor Clóvis. As escolas estaduais Demócrito Gracindo, de Mata Grande, e Eunice Lemos, de Maceió, também tiveram, cada uma, um estudante medalhista.

Tags: Alagoas AL Ciências OBFEP