17:41, 12 ago 2016
Seminários Estaduais BNCC

Seminário da Base Nacional Curricular Comum é encerrado com apresentação de Grupo de Trabalhos

Foto: Adilvan Nogueira / Seduc Tocantins

Centenas de educadores se reuniram em Palmas para discutir diretrizes curriculares da rede estadual

Thaís Souza / Governo do Tocantins

Dividido em cinco grupos, professores das redes estadual e municipal de ensino revisaram e apresentaram propostas de modificações da Base Nacional Curricular Comum, nesta quarta-feira, 10, no Seminário Estadual da Base Nacional Comum Curricular, em Palmas. Os profissionais da educação propuseram mudanças no texto introdutório da educação infantil, anos iniciais e finais do ensino fundamental e ensino médio, da primeira edição da BNCC.

A construção da BNCC é uma ação do Ministério da Educação (MEC), em atendimento à determinação do Plano Nacional de Educação que estabelece os conteúdos a serem ensinados na educação básica no currículo comum visando garantir a todos as mesmas oportunidades de aprendizagem. O Objetivo principal é minimizar as diferenças na oferta de ensino, estabelecendo padrões mínimos de qualidade para avanços na aprendizagem.

De acordo com a Conselheira Nacional de Representantes da Undime, professora Érica de Cássia Maia Ferreira Rodrigues, “as sugestões de alterações serão encaminhadas a Comissão Nacional da Base. Isso dará voz aos professores na definição da Base. Com isso será possível traçar metas dentro da realidade da educação brasileira. Essas metas serão executadas pelos professores”, explica.

Grupos de Trabalho 

O grupo de Linguagens, formado por mais de 20 componentes participou ativamente das discussões dos objetivos gerais para os componentes curriculares. “Foi muito importante a participação ativa de todos os professores. Eles leram todos os objetivos das áreas e propuseram sugestões pertinentes”, afirmou o coordenador de estudos do componente curricular Língua Portuguesa do Ensino Médio.

De acordo com a professora da Escola Municipal Rosemir Fernandes de Sousa, Fátima Aparecida Borges Alves, do grupo de anos iniciais do ensino fundamental, “a linha teórica da multireferencialidade poderá garantir a diversidade e a liberdade para os professores obter melhores resultados na qualidade da educação”, enfatiza.

A Secretária Wanessa Zavanese Sechim, que acompanhou os trabalhos desenvolvidos pelos grupos parabenizou a assiduidade e participação das equipes. “Revisar o Currículo Nacional é refletir sobre a nossa atuação enquanto professores, o que podemos melhorar para que façamos com que o aluno aprenda. É alterar o material didático, a formação dos professores, e pra que tudo seja ampliado e melhorado é preciso que seja mexido, e os professores são as pessoas que têm autonomia para realizar esse trabalho, pois são eles que tem o contato direto com os alunos”, destaca.

A secretária agradeceu as instituições e pessoas que participaram do seminário, pois deram grande contribuição para o processo de melhoria contínua da educação brasileira.


Compartilhar

Outras Notícias