15:21, 17 jan 2017
Fórum de Educação Profissional

Secretaria da Educação da Bahia debate a Educação Profissional no Estado

Foto: Divulgação

Mais de 400 professores e gestores da rede estadual estão participando, nestas terça e quarta-feira (17 e 18), em Salvador, do I Seminário do Fórum Baiano da Educação Profissional. O evento tem o objetivo de discutir as ações voltadas para o ano letivo 2017 na rede estadual, onde estão sendo ofertadas 108 mil novas vagas para cursos técnicos de nível médio e de qualificação profissional para jovens e trabalhadores, em todos os Territórios de Identidade da Bahia. O evento conta com a presença do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

Nesta terça-feira, Pinheiro falou sobre a Inovação Tecnológica e Educação Profissional no Estado da Bahia e destacou os desafios para a Educação Profissional. “A nossa estrutura na rede tem que ser uma estrutura de apoio, de suporte, preparada e pronta para atender o dever que vem das escolas. Então, este seminário tem muito mais uma característica para a gente identificar e ao mesmo tempo começar a discutir os novos desafios para este novo tempo, o desafio de mexer na escola, de alterar metodologia, de alcançar os nossos estudantes e permitir que a escola seja um ambiente agradável e de desejo destes estudantes e uma escola integrada à cidade, ao Território e à vida das pessoas”, afirmou o secretário.

O superintendente da Educação Profissional do Estado, Durval Libânio, disse que 2017 será um ano especial e de muitas novidades. Ele anunciou que a rede estadual de Educação Profissional contará com um novo Centro de Produção Cultural e Design, em Salvador, que terá a parceria da Orquestra Neojibá, da Secretaria de Cultura do Estado e do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (IRDEB), na formação dos estudantes desta área profissional.

O superintendente também falou sobre a instalação de outros Centros, como o Centro Industrial, em parceria com o Sistema FIEB e a Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial do Estado da Bahia (SUDIC), além de um Centro de Empreendedorismo e de mais três Centros de Educação no Campo, que terão cursos em regime de alternância atendendo, especialmente, quem trabalha e mora em áreas rurais. Outra novidade que também irá beneficiar os estudantes de áreas remotas da Bahia é a oferta da Educação Profissional por Intermediação Tecnológica (EPTEC). Além disso, serão ofertadas 10 mil vagas para Educação Empreendedora para estudantes e a qualificação de 200 professores da rede estadual, pelo SEBRAE.

“A nossa rede estadual cresceu muito, é a segunda maior do Brasil e, neste momento, percebemos a necessidade de qualificarmos esta rede e, para isto, os esforços estão sendo feitos. Acreditamos que estas parcerias vão contribuir para que a gente oferte mais e melhores cursos de Educação Profissional e suas diversas modalidades, bem como promova a integração do Ensino Médio e o Ensino Superior”, destacou o superintendente.

Sobre a rede
A Rede Estadual de Educação Profissional da Bahia já é a segunda maior do país na oferta de cursos técnicos de nível médio e, no ano letivo de 2016, teve 76 mil matriculados, nos 27 Territórios de Identidade, atendendo a 121 municípios. Os cursos de formação técnica e de qualificação profissional ofertados são alinhados às demandas socioeconômicas e ambientais dos Territórios. Desta forma, os estudantes podem se beneficiar destas demandas, com mais possibilidades de inserção no mundo do trabalho nos seus locais de origem. Para a expansão da rede, o Estado criou 38 Centros Estaduais e 33 Territoriais de Educação Profissional, além de ofertar os cursos em unidades escolares compartilhadas.


Compartilhar

Outras Notícias