12:06, 11 ago 2015
Parceria

Participe do concurso e seja um Jovem Senador

Foto:

Encerra-se no dia 21 de agosto o prazo para que as escolas encaminhem as redações selecionadas no Programa Jovem Senador para as secretarias estaduais de Educação. As três melhores redações de cada estado serão enviadas a Brasília.

— Só vale o que chegar às secretarias até essa data de postagem nos Correios. Aqui, uma comissão julgadora do Senado escolhe a melhor redação de cada estado e, entre essas, as três melhores do país — explica Marcia Yukiko, da Secretaria de Relações Públicas do Senado.

O Jovem Senador é um projeto anual que incentiva a participação de estudantes na política. Por meio de um concurso nacional, 27 estudantes têm a oportunidade de vivenciar o trabalho dos senadores.

O projeto seleciona as melhores redações de estudantes de até 19 anos do ensino médio das escolas públicas estaduais e do Distrito Federal. A cada ano é proposto um tema de redação como forma de ingresso. A legislatura tem duração de três dias e inicia-se com a posse dos jovens senadores e a eleição da Mesa. Os trabalhos são encerrados com a aprovação dos projetos e a consequente publicação no Diário do Senado Federal.

Este ano o projeto chega à sua quinta edição e o resultado final deverá ser divulgado até o dia 14 de outubro em uma cerimônia especial.

O site do Jovem Senador tem publicado depoimentos em vídeo de alunos que já participaram. Também é possível conferir o perfil dos estudantes que foram "jovens senadores" e ler as redações que garantiram espaço no projeto. O site ainda oferece links para cursos online sobre o Poder Legislativo Brasileiro, destinados aos professores orientadores das redações.

Premiação

Os autores das 27 melhores redações — um por unidade da Federação — serão automaticamente selecionados para vivenciar, em Brasília, o processo de discussão e elaboração das leis do país, simulando a atuação dos senadores da República.

Além da viagem à Brasília, medalha e certificado, outros prêmios também estão previstos para os estudantes (notebook), os professores (tablet) e para as escolas (computadores para as três primeiras classificadas nacionalmente).

Projetos

Dois projetos de Lei do Senado foram elaborados a partir de sugestões de participantes do Programa Jovem Senador. No fim do ano passado ele foram aprovados e encaminhados à Câmara dos Deputados. Um deles obriga os professores em exercício ou contratados para lecionar no ensino básico a comprovar qualificação. O outro determina que estudantes com baixo rendimento escolar sejam incluídos em plano de recuperação especial.

O PLS 185/2012 nasceu de uma sugestão feita em 2011 pela estudante baiana Adriele Souza. O objetivo do projeto é modificar a Lei de Diretrizes e Bases da Educação para assegurar expressamente a comprovação de qualificação pelos professores, ou seja: obriga o Estado a prover professores qualificados no sistema educacional.

Já o PLS 467/2012, que determina que estudantes com baixo rendimento escolar sejam incluídos em plano de recuperação especial, surgiu de ideia da "jovem senadora" Rafaela de Souza e Silva, que participou do programa em 2011, representando o estado de Mato Grosso.

De acordo com o texto, os sistemas de ensino precisam identificar, até o final do primeiro bimestre letivo, os estudantes dos ensinos fundamental e médio com baixo rendimento ou baixa frequência, para incluí-los em plano de recuperação. O plano prevê a ampliação do horário escolar, a visita de educadores ao ambiente familiar e, quando necessário, a assistência psicológica aos estudantes.


Agência Senado


Compartilhar

Outras Notícias