NOTÍCIAS

Amapá 10:39, 5 mai 2020 Para ajudar no isolamento social, professores têm apoio psicológico online

Para ajudar no isolamento social, professores têm apoio psicológico online

Fora da rotina da sala de aula, educadores recebem formação em plataformas digitais com acompanhamento psicológico

Educadores das séries iniciais da rede pública que fazem parte do programa de formação Criança Alfabetizada, desenvolvido pelo Governo do Amapá, continuam recebendo formação online durante a pandemia da Covid-19. Para ajudar a lidar com o isolamento social, os profissionais recebem suporte psicológico através de encontros em plataforma digital.

Desde o início da pandemia, a Secretaria de Estado de Educação (Seed) elabora medidas especiais para reforçar o cuidado com a saúde de professores da rede pública. 

Ferramentas digitais auxiliam neste processo que ganhou reforços de psicólogos do Centro de Vivência da Educação (CVEduc).

Para a psicóloga Deyse Quintas, os educadores, assim como outros profissionais, podem precisar de apoio profissional para lidar com tudo o que está acontecendo.

"Este apoio é fundamental para os trabalhadores que estão vivendo sob stress causado pela pandemia. Então, é uma oportunidade e um privilégio poder contribuir com esse processo num momento tão delicado no nosso país. Sinto-me privilegiada por estar viva, com saúde e sendo útil nesse processo de formação”, disse Deyse Quintas.

Professora e formadora do Programa Criança Alfabetizada no município de Tartarugalzinho, Jael Amorim conta que os encontros online servem para ajudar a encontrar soluções a tudo aquilo que poderia atrapalhar seu desempenho.

“Senti-me extremamente feliz em poder participar do encontro online, pois foi um momento de relatos de vivência de cada formadora nesse momento. Pude perceber que estávamos passando por problemas em comum como ansiedade, falta de concentração em algumas atividades, responsabilidade de ser o esteio da família e manter-se forte. A troca de experiências fez com que me sentisse mais humana”, contou a formadora.

Janaina Picanço é professora e também faz parte do Criança Alfabetizada. Segundo ela, é necessário que se tenha mais aproximação com as pessoas que demonstram passar por algum tipo de problema.

“Ter esse momento com apoio da psicóloga foi de fundamental importância, porque temos vivenciados e percebido muitas situações que acabavam fugindo do nosso controle. Precisamos entender o outro e ajudá-lo”, pontuou Janaina Picanço.

De acordo com a gerente de Formação e Aprendizagem do programa, Cristiane Vilhena, a formação dos educadores faz parte do cronograma mantido e replanejado pelo próprio programa onde notou-se a necessidade de inclusão de psicólogos para atenderem os formadores.

“Diante da situação da pandemia, percebemos que alguns formadores estavam muito impactados com esse período de distanciamento social, sendo que alguns, por terem pessoas de sua família com covid-19, ficaram emocionalmente abalados. Então, decidimos enquanto gestão do Programa buscar parcerias junto ao CVEDUC, através de um psicólogo, para fazermos um momento em grupo para reflexão e ajuda”, explicou a gerente.

Programa Criança Alfabetizada

Lançado pelo Governo do Amapá, o Programa Criança Alfabetizada objetiva melhorar a qualidade do ensino básico e dos resultados de aprendizagem dos estudantes, trabalhando em regime de colaboração com as prefeituras.


Tags: Professores Amapá AP Programa Criança Alfabetizada atendimento especializado