17:57, 19 fev 2016
Rio Grande do Sul

Instituído o Pacto da Educação Gaúcha contra o Aedes aegypti

Foto: Evandro Oliveira, Secretaria da Educação do RS.

No dia 04 de março, alunos terão como “tema de casa” a tarefa de identificar e eliminar nas próprias residências possíveis focos de proliferação do mosquito

O Governo do Estado, a prefeitura de Porto Alegre e oito instituições firmaram nesta sexta-feira o Pacto da Educação Gaúcha contra o Aedes aegypti. A assinatura ocorreu na Escola Padre Réus, com a presença do ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, dos secretários de Estado da Educação, Vieira da Cunha, e da Saúde, João Gabbardo dos Reis, e do prefeito da Capital, José Fortunati. O ato faz parte do dia de mobilização nacional da educação para o combate ao mosquito, que contou com atividades em todo o pais.

“O ministro Aloizio Mercadante fez contato direto com o governador José Ivo Sartori, que me passou esta missão de mobilizar a comunidade escolar em torno desta causa. Embora a gente ainda não tenha iniciado o nosso ano letivo, o Rio Grande do Sul não poderia deixar de participar deste grande mutirão nacional”, afirma o secretário Vieira da Cunha.

Também aderiram ao pacto o Comando Militar do Sul, a União Gaúcha de Estudantes Secundaristas (Uges), o Sindicato do Ensino Privado do RS (Sinepe), a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime/RS), o Sindicato dos Professores do Ensino Privado (Sinpro), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), a União Estadual dos Estudantes (UEE-RS) e a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS).

O objetivo é mobilizar a comunidade escolar para o enfrentamento à proliferação do mosquito, sobretudo através da conscientização quanto aos locais que servem como criadouros.

“É muito difícil combater o mosquito. Ele rapidamente adquire resistência aos inseticidas que usamos e consegue ser resistente aos larvicidas. Inicialmente só sobrevivia em água limpa, hoje consegue até mesmo no esgoto. Precisamos ter ações efetivas e a Secretaria da Educação tem participado das nossas atividades de monitoramento, controle e combate ao mosquito”, explica o secretário Gabbardo.

Atividades deverão ser desenvolvidas durante o ano todo junto às escolas da rede pública e privada. O secretário-adjunto da Saúde, Francisco Paz, falará sobre o combate ao mosquito no evento de abertura do ano letivo para os professores da Rede Estadual, no dia 24 de fevereiro, no Teatro Dante Barone, em Porto Alegre.

A partir do dia 29 de fevereiro, quando os estudantes retornam às salas de aula, o Exército, Marinha e Aeronáutica deverão enviar equipes até as escolas para contribuir com a campanha.

Já no dia 04 de março, os alunos terão como “tema de casa” a tarefa de identificar e eliminar nas próprias residências possíveis focos de proliferação do mosquito. No primeiro dia útil seguinte, os estudantes deverão levar um resumo da ação que fizeram em forma de redação, o que possibilitará que a temática seja socializada em sala de aula.


Compartilhar

Outras Notícias