NOTÍCIAS

#ZIKAZERO 11:19, 29 abr 2016 Estudantes baianos desenvolvem repelente natural contra o Aedes aegypti

Foto:

A epidemia do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, do zika vírus e da chikungunya, no município baiano do Feira de Santana, despertou os estudantes dos cursos técnicos de nível médio em Enfermagem e em Edificações do Centro Territorial de Educação Profissional (Cetep) do Portal do Sertão. Depois de muitas pesquisas na internet e discussões em sala de aula, eles desenvolveram um repelente natural à base da árvore Nim.

“Já tínhamos ouvido na televisão os poderes inseticida e medicinal da planta. Daí que descobrimos que no próprio Cetep temos muita dessa espécie. Como estamos vivendo muitos casos de dengue, zika e chikungunya na cidade, resolvemos fazer o experimento, que resultou no repelente natural”, relata a estudante do curso técnico de Enfermagem, Eliene Pereira, 33 anos, ressaltando que “depois de testarmos o produto em nós mesmo, constatamos que ele é mesmo eficiente”.

A estudante conta que ao pesquisar, constatou que as substâncias encontradas nessa planta – a principal é a azadirachtina, além de triterpenoides, geduninas, nimbin e liminoides –  funcionam como repelentes. Com esta informação, ela e os colegas, sob a orientação de seus professores, começaram a testar outros ingredientes para fazer uma mistura que resultasse em um produto para ser usado como repelente natural.

Como fazer
A composição do repelente natural, explica a estudante, é simples: 500 ml de álcool, 200g de cravo, 1 colher de sopa de qualquer óleo corporal (amêndoa, por exemplo) e 100g da folha de Nim. “Deixa toda a planta em infusão na mistura dos outros ingredientes de oito a dez dias. Depois, coa, distribui o líquido em pequenos vasilhames e está pronto o produto para uso frequente”, detalha Eliene Pereira, que diz se sentir “realizada” por estar contribuindo para conscientizar e ajudar as pessoas no combate ao mosquito, “mostrando-lhes que o primeiro passo é a prevenção”.

A vice-diretora pedagógica do Cetep do Portal do Sertão, Luciana Macario, ressalta que a atividade possibilita que os estudantes aliem teoria e prática e aprendam o valor social da futura profissão. Destaca ainda que a experiência tem garantido uma mobilização da comunidade escolar e da população em geral na prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito. “Os alunos têm ensinado a população a fazer o repelente natural para evitar a picada do mosquito Aedes aegypti e contribuído para a melhoria da qualidade de vida das pessoas em seu entorno através de um produto que é feito com uma planta de fácil cultivo e, além disso, os demais ingredientes utilizados são baratos”, afirma, ressaltando a participação dos estudantes no Dia D contra o Aedes, promovido pelo Núcleo Regional de Educação (NRE-19), em Feira de Santana.

Sobre o Nim
Conhecida na Índia há mais de dois mil anos, a Nim (Azadirachta indica A Juss) foi trazida para o Brasil em 1992, pelas mãos de pesquisadores brasileiros, que passaram a testá-las como inseticida pelas suas características medicinais no tratamento de uma infinidade de doenças. Mais recentemente, ficou constatado que produtos à base da espécie têm se mostrado uma alternativa de baixo custo, o que tem despertado grande interesse da classe científica, inclusive na produção de mudas. Bastante resistente à seca, a planta pode se desenvolver em qualquer solo, tendo preferência pelos arenosos profundos. Sua propagação pode ser feita por sementes ou estacas provenientes das raízes.

Tags: Bahia BA Portal da Educação #ZIKAZERO combate aedes