NOTÍCIAS

Sergipe 08:41, 21 mar 2018 Ensino Integral: implantação do Programa Escola Educa Mais se torna política de Estado em Sergipe

Público formado por professores e gestores Público Secretário Jorge Carvalho Governador Jackson Barreto Aluno represente a classe estudantil Homenagens a equipe gestora Secretário Jorge Carvalho Aluno comemora Governador Jackson Barreto Solenidade Governador Jackson Barreto Secretário Jorge Carvalho
Foto: Janaina Santos

Impactos da ampliação do ensino integral em escolas da rede estadual foram apresentados para um grande público

 “O ensino integral é um programa permanente, uma política de Estado que Sergipe conquistou pela decisão firme e pela ousadia do governador Jackson Barreto, que apostou na proposta da Seed e abonou todas as iniciativas tomadas neste sentido”, afirmou o secretário Jorge Carvalho, ao apresentar os impactos da experiência sergipana com a implantação do modelo de ensino integral na rede pública estadual.

Ao lado do governador do Estado de Sergipe, Jackson Barreto, o secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho, expôs nesta terça-feira, 20, em evento realizado no Teatro Tobias Barreto, em Aracaju, os impactos da implantação do Programa Estadual de Ensino Integral - Escola Educa Mais, a partir do qual o Governo de Sergipe consolida e expande, este ano, a oferta de Educação Integral para alunos do Ensino Médio, matriculados em unidades da Rede Pública Estadual de Ensino, em diversos municípios do Estado.

A apresentação da experiência sergipana com o modelo de ensino integral do Programa Escola Educa Mais foi feita para alunos, professores e demais integrantes das comunidades escolares dos Centros de Excelência em Ensino Médio (CEEM) e, também, para representantes dos institutos Sonho Grande, Natura e de Corresponsabilidade pela Educação, instituições parceiras do governo estadual na implantação do programa nos colégios estaduais.

Antes de apresentar os impactos do Programa Educa Mais no cenário educacional sergipano, o secretário Jorge Carvalho contextualizou, historicamente, diversas iniciativas adotadas no país no sentido de oferecer aos alunos educação integral, desde o Manifesto do Pioneirismo, lançado por intelectuais brasileiros, em 1932, até chegar ao Programa de Fomento à Implantação de Escolas em Tempo Integral, instituído pelo Ministério da Educação (MEC), em 2016, a partir do qual foi possível ao governo estadual reformular e expandir a oferta desta modalidade de ensino nas escolas públicas sergipanas.

De acordo com o secretário estadual de Educação, a partir da adesão que o Estado fez ao Programa de Fomento lançado pelo MEC, Sergipe institui o Programa Estadual de Ensino Integral – Escola Educa Mais e saltou de três escolas de tempo integral, em 2016, para 17 unidades escolares inseridas no programa em 2017. “E, este ano, estamos inserindo mais 25 colégios estaduais em nosso Programa de Ensino Integral. Com isso, Sergipe passa a ser, em 2018, o estado brasileiro que apresenta o maior crescimento relativo de escolas públicas estaduais que ofertam Educação em tempo integral no país”, declarou Jorge Carvalho.

Em uma linha do tempo, o secretário Jorge Carvalho expôs os principais marcos da experiência sergipana na Educação em Tempo Integral, desde 2005, com a ampliação do tempo em turno contrário e a oferta de oficinas artísticas, científicas e culturais, até 2016, quando, no estado, “o debate sobre a oferta de Educação em Tempo Integral foi ganhando corpo, sendo incorporado às propostas de políticas públicas de educação básica”, disse.

“E, hoje, o ensino integral é um programa permanente, uma política de Estado que Sergipe conquistou pela decisão firme e pela ousadia do governador Jackson Barreto, que apostou na proposta da Seed e abonou todas as iniciativas tomadas no sentido de consolidar o Escola Educa Mais”, afirmou o secretário Jorge Carvalho, ao apresentar impactos significativos da implantação do modelo de ensino integral na rede pública em Sergipe, como a acentuada redução da evasão escolar e o elevado índice de ingresso no ensino superior de alunos concluintes do ensino médio nas escolas de tempo integral que, este ano, “chegou a 100% no “Atheneu Sergipense” e a 92% no “Maria Ivanda de Carvalho Nascimento”, destacou ainda, ao fazer referência aos resultados de dois dos 15 Centros de Excelência instalados em Aracaju.

Como resultado dessa política pública de oferta de ensino integral para os alunos do ensino médio, a Rede Pública Estadual de Ensino registrou, em 2017, número recorde de aprovação no ensino superior de alunos concluintes do ensino médio em colégios estaduais, sobretudo nos Centros de Excelência. “Foram quase 2.000 alunos da rede aprovados em universidades e faculdades públicas e privadas de diversos estados do país”, salientou Carvalho em sua apresentação.

Expansão

Segundo o secretário Jorge Carvalho, até o final deste ano, em todo país, a Educação em Tempo Integral será ofertada em 967 escolas públicas, as quais contarão com 285 mil alunos matriculados nesta modalidade de ensino. Para isso, o MEC irá investir, até 2020, R$1,5 bilhão, recursos estes destinados a 26 estados brasileiros, tendo como base de cálculo para o repasse o valor de R$2 mil/ano por aluno matriculado nesta modalidade de ensino.

Em Sergipe, de acordo com os dados apresentados pelo secretário Jorge Carvalho, além dos repasses do Ministério da Educação para as escolas que aderiram ao programa de fomento, o governo estadual investirá, até o final deste ano, R$20 milhões em obras de requalificação da infraestrutura das escolas de tempo integral.

“Com isso, consolidamos o Programa de Ensino Integral nos 17 Centros de Excelência que iniciaram a implantação gradual do Escola Educa Mais em 2017, e tornamos possível a inserção de mais 25 escolas no programa, ampliando as matrículas nesta modalidade de ensino na rede estadual para mais de 7.200 alunos, em diversos municípios sergipanos, em todas as regiões do Estado”, afirmou Jorge Carvalho.

Formação continuada

Em sua exposição, o secretário estadual de Educação destacou também, como impacto da implantação do Programa Escola Educa Mais em Sergipe, a oferta de formação continuada para os professores, coordenadores e gestores dos Centros de Excelência, todos eles profissionais efetivos do Magistério Público Estadual, aprovados em processo de seleção para atuar nas escolas de tempo integral.

“Essencial para o exercício de qualquer profissão, indispensável para o magistério, a formação continuada é a ‘pedra de toque’ do Programa de Ensino Integral e todos os profissionais selecionados aderiram as regras do Escola Educa Mais e participaram dos 12 processos formativos que realizamos ao longo de 2017. Os resultados já podem ser observados nas escolas de tempo integral, com equipe gestora e professores engajados e empolgados”, disse o secretário de Educação, ao citar como exemplo os prêmios conquistados no Prêmio Gestão Escolar por dois professores que atuam em Centros de Excelência e a conquista dos alunos das escolas de tempo integral de espaços em competições estaduais, nacionais e internacionais, como olimpíadas e exposições.

Comunidade escolar satisfeita

Antes de encerrar sua exposição sobre a experiência sergipana na Educação Integral, Jorge Carvalho apresentou, com exclusividade, dados de uma pesquisa inédita, realizada pelo Instituto Sonho Grande, que verificou a satisfação e o desempenho dos alunos de escolas públicas em tempo integral em sete estados brasileiros.

De acordo com o secretário de Estado da Educação, o levantamento dos dados foi feito a partir de metodologias qualitativas e quantitativas, com as quais foram entrevistados alunos, pais de alunos e gestores, das escolas do período integral, meio período e ex-alunos do integral, totalizando 380 entrevistas apenas em Sergipe, com o objetivo de entender por que algumas vagas não são preenchidas e quais as razões de transferência e abandono da escola integral para de meio período.

Segundo dados desta pesquisa do Sonho Grande, enquanto apenas 9% dos alunos do ensino médio em meio período está muito satisfeito com a escola onde estuda, esse número salta para 21% dos entrevistados matriculados em escolas de tempo integral. Quando perguntado aos alunos do 9º ano do ensino fundamental, que já conhecem o modelo do Programa Escola Educa Mais, se consideram a possibilidade de estudar em algum dos Centros de Excelência da Rede Pública Estadual, 88,5% deles afirmaram que sim; quando a mesma pergunta foi direcionada aos pais destes alunos, mais de 56% também afirmaram que matriculariam seus filhos em uma escola pública de tempo integral.

Pelos dados da pesquisa foi possível verificar também, ressaltou o secretário Jorge Carvalho, a percepção que os próprios alunos têm do modelo de ensino que lhes é ofertado nas escolas de tempo integral. Para 72% dos alunos entrevistados, após os primeiros meses estudando em tempo integral, a percepção que tinham da escola mudou, para melhor.

“Os dados da pesquisa desfazem alguns mitos criados em torno da escola de tempo integral, como o que afirma que a prioridade da família para o aluno, no período em que este vai cursar o ensino médio, é que trabalhe e estude. Mas os números nos mostram exatamente o contrário, com mais de 53% dos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental afirmando que preferem concluir o Ensino Médio e depois entrar no ensino superior, e 49% dos pais de alunos que estão concluindo o Ensino Fundamental afirmando o mesmo”, disse o secretário.

Após demonstrar e comemorar os efeitos positivos da implantação do ensino integral na Rede Pública Estadual em Sergipe, o secretário Jorge Carvalho afirmou que o Estado acertou ao instituir o Programa Estadual de Ensino Integral e que este modelo vem conquistando, cada vez mais, o respaldo da comunidade escolar sergipana.


Tags: Sergipe SE Ensino de qualidade ENSINO INTEGRAL Tempo