NOTÍCIAS

Bahia 23:15, 7 dez 2020 Encontro virtual debate os 10 anos de trajetória do Fórum Permanente de Educação Quilombola da Bahia

Encontro virtual debate os 10 anos de trajetória do Fórum Permanente de Educação Quilombola da Bahia

O Fórum Permanente de Educação Quilombola da Bahia promoveu, nesta segunda-feira (7), mais um debate virtual para marcar os 10 anos de criação desta instância da sociedade civil. O fórum tem o papel de realizar o controle social quanto à implementação das políticas públicas educacionais para a Educação Quilombola e na live comemorativa, os participantes abordaram a trajetória do Fórum, sua história, objetivos e potencialidades.

Participaram do encontro virtual, o secretário da Educação do Estado (SEC), Jerônimo Rodrigues; a professora de escola quilombola de Ilha de Maré, Nádia Cardoso; o coordenador executivo do Fórum, José Ramos; o mobilizador social da Central Regional dos Quilombos do Velho Chico, Joseilton Purificação; e a conselheira consultiva do Fórum, Nádia Barreto.

O secretário Jerônimo Rodrigues falou sobre a importância do Fórum. “O Fórum tem enorme importância no seu conceito de representação porque carrega a luta das pessoas que fazem parte dele. Portanto, é uma demarcação estratégica o reconhecimento do fórum enquanto uma unidade de planejamento, análise e de luta. Não vejo uma organização apenas de defesa, mas propositiva, que é marcada por uma agenda inteligente e que compreende que a Educação Escolar Quilombola tem que estar visibilizada e organizada em uma estrutura de Governo”.

>> Assista aqui ao debate

Segundo a conselheira Nádia Barreto, o papel do fórum é articular o diálogo do Estado com os povos quilombolas para dar visibilidade às lutas e valorizar a ancestralidade. “Tem que existir esse trabalho voltado às especificidades da população quilombola para que o jovem se reconheça dentro da aprendizagem que é ofertada a ele. Por isso, o fórum é um instrumento importante na política educacional na Bahia”.

A professora Nádia Cardoso falou sobre as Políticas Públicas voltadas para a Educação Quilombola. “Foi uma experiência inovadora criada com a Coordenação de Diversidade na SEC, baseado na Lei 10.639/2003, quando percebemos a enorme demanda das comunidades quilombolas e começamos a trabalhar, como prioridade, questões voltadas aos direitos, valores, à história e à resistência desta população, como estratégias na qualificação da educação baiana”.

O coordenador executivo do fórum, José Ramos, destacou o debate promovido. “É de extrema importância falar um pouco da luta, história, resistência e respeito à Educação Quilombola no nosso Estado e nacionalmente. Tivemos avanços que, cujo primeiro passo foi a discussão sobre as diretrizes da Educação Quilombola, em que conseguimos unir e interagir com as diversas lideranças quilombolas na Bahia, debatendo o que é melhor para a nossa população”. 

Desde o mês de outubro, uma programação comemorativa dos 10 anos do Fórum vem sendo realizada e já abordou, neste I Ciclo de Debates, as seguintes temáticas: a “História e luta dos Quilombos: da África ao Brasil”; “Educação Escolar Quilombola: histórico e conjuntura atual”; e “O currículo para a Educação Escolar Quilombola: da Legislação ao cotidiano escolar”. 

Rede estadual - A Educação Escolar Quilombola segue a proposta política de um currículo construído com os quilombolas e para os quilombolas, baseado nos saberes, conhecimentos e respeito às suas matrizes culturais. Isso garante que os estudantes quilombolas tenham suas especificidades atendidas, bem como o acesso, a permanência e a conclusão de seus estudos. Na Bahia, a Secretaria da Educação do Estado acompanha 41 espaços escolares quilombolas, sendo oito escolas e 33 anexos, somando cerca de 4.500 estudantes e 427 educadores.

Tags: Bahia BA Portal da Educação Educação Quilombola