NOTÍCIAS

Sergipe 16:46, 25 jan 2021 Em cartaz, filme Atravessa a Vida retrata a rotina de estudantes de escola do Centro-Sul Sergipano

Foto:

O documentário mergulha no universo escolar e adolescente dos jovens de Simão Dias (SE), cidade de 40 mil habitantes

Atravessa a vida”, documentário que acompanha o cotidiano de uma turma da 3ª série do Centro de Excelência Dr. Milton Dortas, unidade que oferta o Ensino Médio em Tempo Integral, no município de Simão Dias, Centro-Sul de Sergipe, está em cartaz em todo o Brasil. Do diretor João Jardim (“Getúlio”, “Janela da Alma”) o longa é uma produção da Copacabana Filmes e Fogo Azul Filmes, em coprodução com Globo Filmes, GloboNews e Canal Curta!.

Em Sergipe, a estreia ocorreu no dia 21 de janeiro, nas salas de cinema do Cinemark, e segue em cartaz esta semana nos dias 25, 26 e 27, às 19h30, no Cinemark Shopping Riomar. A estreia nacional aconteceu uma semana antes, em 14 de janeiro, no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Porto Alegre. O documentário também será exibido pela Folha de São Paulo, nesta terça-feira, 26, para as 200 primeiras pessoas que se inscreverem no link: http://eventos.folha.uol.com.br/evento/exibicao-de-atravessa-a-vida/287. 

Na quarta-feira, 27, às 20h, a Folha também realizará um debate sobre o filme, que será transmitido pela Folha e não precisa de inscrição. O diretor e produtor do filme, João Jardim, participará da discussão com a colunista da Folha Claudia Costin, que é diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da FGV, e Paulo Saldaña, repórter do jornal e diretor da Jeduca (Associação de Jornalistas de Educação). Na próxima semana, a estreia acontecerá nas plataformas digitais (Globoplay, Now etc) e no dia 7 de fevereiro, o documentário terá uma exibição especial, às 23h, na Globo News.

O documentário mergulha no universo escolar e adolescente dos jovens de Simão Dias, cidade aproximadamente 40 mil habitantes. O Centro de Excelência Dr. Milton Dortas, escola com cerca de mil alunos, representa um recorte das dificuldades na educação brasileira. Enquanto buscam o sonho de garantir um ensino superior gratuito, os alunos refletem temas urgentes – dentro e fora de sala de aula –,  como futuro, depressão, aborto, pena de morte e Ditadura Militar.

Com grande repercussão na TV aberta e fechada, o diretor comenta: “Atravessa a vida é um desejo forte de revisitar a vida no ensino médio, momento tão importante. Ao mesmo tempo, uma vontade de expor o Brasil emocionalmente. O recorte que me interessou foi aquele de partida e início, quando vamos sair do colégio que tanto nos protege, mesmo com suas precariedades. Na forma, queria fazer um filme só com cinema direto, quase consegui, restaram três entrevistas. No interior de Sergipe, fui à procura de um grupo, não de um ou dois personagens, e encontrei jovens firmes na ideia de que têm potência, que discutem suas vidas e seu país com uma clareza inesperada e forte. Pessoas, na sua maioria, criadas somente por suas mães. São situações com professores e alunos que nos fazem pensar quem somos, para onde estamos indo?”, explica o diretor e roteirista João Jardim.

Produzido em 2018, alguns jovens que participaram do documentário destacam que o longa é um bom retrato das suas vidas naquela época. Foi o caso de Milena Andrade dos Santos Lima, 19 anos, que estudava no Milton Dortas. “O documentário foi muito importante porque no 3º ano do ensino médio há muita pressão para passar no Enem. E muitos estudantes tinham vidas totalmente diferentes. Nem todos tinham estrutura em casa para continuar os estudos. Penso que o longa-metragem retrata bem as diferenças entre os jovens”, disse ela, que na época passou para o curso de Nutrição na Universidade Federal de Sergipe, e hoje cursa Odontologia em uma faculdade na cidade de Paripiranga (BA), que é mais próxima de Simão Dias.

Quem também gostou de ter participado foi Flávia de Jesus Ribeiro, na época aprovada para o curso de Fisioterapia, mas que no semestre seguinte mudou para Farmácia. “A proposta do documentário foi bem interessante para a gente porque, naquele momento de turbulências, incertezas, dúvidas e medo do que estava por vir, nós tivemos o doce saber de que as nossas experiências ali vividas seriam marcadas no tempo; que nós teríamos a comprovação do que vivemos. Foi muito interessante participar”, declarou.

Conheça mais sobre o filme por meio das redes sociais @atravessaavida (Facebook e Instagram) ou no sitehttps://copacabanaplay.com.br/filme/atravessaavida


Tags: Sergipe SE ENEM Filme