16:25, 17 out 2016
Educação Profissional

Educação profissional oportuniza conclusão do ensino básico e qualificação para o mundo do trabalho

Foto: Adilvan Nogueira / Seduc Tocantins

Visando investir na formação de jovens e adultos para elevar a qualificação da mão de obra e possibilitar melhores condições para a entrada no mundo de trabalho, o Governo do Estado, por meio da Secre

Núbia Daiana Mota / Governo do Tocantins

Visando investir na formação de jovens e adultos para elevar a qualificação da mão de obra e possibilitar melhores condições para a entrada no mundo de trabalho, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), oferta 73 cursos de educação profissional que beneficiam mais de 4 mil alunos.

Os cursos são realizados nas escolas estaduais na modalidade de ensino técnico integrado ao ensino médio. São atendidos alunos de 45 municípios do Tocantins, que durante os três anos do ensino médio recebem, além da formação regular, a capacitação técnica para atuar profissionalmente.

Os cursos em andamento são das áreas de: enfermagem, informática, manutenção e suporte de informática, biotecnologia, agropecuária, agroecologia, agronegócios, zootecnia, segurança do trabalho, agricultura, farmácia, logística, administração, comércio, instrumentos musical, hotelaria e turismo, guia de turismo, agroindústria, análises clínicas, manutenção de computadores, magistério, agente comunitário de saúde e controle ambiental. Para o próximo ano, 66 destes cursos continuarão sendo ofertados em 45 municípios.

Para a titular da Seduc, professora Wanessa Sechim, a educação profissional motiva os estudantes  que têm pressa para trabalhar antes de cursar o ensino superior. “Esses cursos integrados são oportunidades para esses alunos que querem cursar o ensino médio, mas precisam de uma fonte de renda”, explica.

Geração de renda

O Colégio da Polícia Militar é uma das unidades de ensino onde é ofertado o ensino técnico integrado ao médio.  Os estudantes podem optar pelo curso de rede de computadores ou técnico em instrumento musical.

Para o estudante Hiure Rodrigues, que faz o 2º ano do curso de rede de computadores, o ensino técnico foi uma das principais motivações que o levaram a tentar uma vaga no Colégio da Polícia Militar. “Com todo o conhecimento que recebemos durante esses três anos saímos prontos para trabalhar e ter nossa própria renda. O curso é muito bom e tenho certeza que vai fazer toda a diferença no meu currículo”, avalia.

Quem também cursa o técnico em rede de computadores é o Vinycius Martins, de 16 anos. Segundo ele, além das aulas práticas e teóricas, que capacitam para trabalhar em empresas de diversos segmentos, os alunos ainda recebem orientações sobre empreendedorismo. “Acredito que na disputa por uma vaga de emprego, quem tem o curso técnico leva vantagem, porque você já sai do ensino médio preparado para trabalhar, seja numa empresa ou como empreendedor individual. Eu estou muito satisfeito com o curso que está superando minhas expectativas”, relata.

O curso técnico em instrumento musical foi a escolha do educando Igor Sales, de 16 anos. Apesar da primeira experiência como instrumentista ter sido há pouco mais de um ano, o aluno pretende seguir carreira na música. “Estou muito feliz com todos os progressos que já tive até aqui. Esse é um curso que exige muita dedicação, mas que te dá um retorno rápido. Tenho amigos que terminaram no ano passado e já estão trabalhando como professor. Eu pretendo seguir carreira militar e fazer parte da banda de música da PM. Até lá, com a experiência que adquiri aqui, terei como ganhar meu dinheiro”, frisa.

Pronatec

A Seduc também é ofertante do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec). O objetivo é contribuir para a superação das desigualdades socioeconômicas do campo e da cidade, bem como propiciar aos estudantes o acesso aos mais elevados níveis de conhecimento, saberes e experiências que permitam a compreensão da integração entre trabalho, ciência, tecnologia, cultura, arte, sociedade e ambiente.

Neste ano, 2.400 alunos de 93 municípios já concluíram cursos de Formação Inicial Continuada (FIC). Foram ofertados 104 cursos na modalidade presencial e 45 via Educação a Distância (EAD).

Estão em andamento 16 cursos de qualificação profissional, que terão continuidade em 2017 e 2018.  Na modalidade de EAD estão sendo atendidos cem estudantes das cidades de Tocantinópolis, Miracema, Porto Nacional e Colinas.  Os cursos técnicos ofertados são nas áreas de alimentação escolar, agente comunitário de saúde, informática e segurança do trabalho.

Outros 300 cursistas de Palmas e Araguaína também continuam nos cursos FIC na modalidade EAD. Em Araguaína, são realizados os cursos técnicos em zootecnia, analises clínicas, prótese dentária, enfermagem, radiologia, estética e edificações. Em Palmas, os cursos técnicos são nas áreas de computação gráfica, eletroeletrônica, redes de computadores e edificações.



Compartilhar

Outras Notícias