NOTÍCIAS

Santa Catarina 18:53, 8 abr 2017 Dia da Família na Escola movimenta unidades em toda Santa Catarina

Para atrair os pais e incentivar a participação, as escolas organizaram diferentes atividades para serem desenvolvidas entre família. Para atrair os pais e incentivar a participação, as escolas organizaram diferentes atividades para serem desenvolvidas entre família. Para atrair os pais e incentivar a participação, as escolas organizaram diferentes atividades para serem desenvolvidas entre família. Para atrair os pais e incentivar a participação, as escolas organizaram diferentes atividades para serem desenvolvidas entre família.
Foto: Edinéia Rauta

Para a estudante Nicole Martinez, 17 anos, aluna do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual Jacó Anderle, de Florianópolis, a presença dos pais em sua vida escolar sempre foi constante, desde o pré-primário. Por isso, a participação da mãe neste sábado, 8, na segunda edição do Dia Estadual da Família na Escola, foi mais uma atividade comum na vida dos Martinez. “Se minha mãe não viesse, eu ia me sentir excluída. Ia parecer que aquilo que eu faço não é tão importante”, diz a garota.

Este sentimento não é apenas da Nicole, prova disso foi a movimentação em mais de 1 mil estabelecimentos de ensino da rede pública estadual e do Sistema S. Durante todo o sábado, pais e outros familiares dos estudantes participaram dos eventos com o objetivo de estimular a participação das famílias na vida escolar dos filhos.

Para o secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, o jovem precisa identificar valor em tudo o que faz. “Quando você traz a família para a escola, pelo exemplo, os pais estão demonstrando para o jovem e a criança que o processo educacional é algo muito valoroso que vai ter muita influência no seu futuro de vida. Essa presença faz com que o jovem comece a identificar isso. Por isso, a importância da participação da família no ambiente escolar, não apenas neste dia”, avalia.

Buscando atrair os pais e incentivar a participação, as escolas organizaram diferentes atividades para serem desenvolvidas entre família.  Passeio ciclístico, ginástica, dança, gincanas esportivas, oficinas, ações para emissão de RG e CPF, esclarecimentos sobre Imposto de Renda e previdência social, roda de chimarrão, palestras, apresentações musicais e de teatro, feira do livro, orientações sobre vacinações, aferição de pressão arterial, glicemia, exposição de trabalhos, recreação, revitalização de horta e jardinagem foram algumas delas.

Para a gerente de Educação de Canoinhas, Maria Celina Murar, “a participação dos pais na vida escolar dos filhos contribui para um aprendizado melhor dentro e fora da escola. Acompanhar de perto seu dia a dia e conhecer mais o ambiente escolar, aproximando a comunidade da escola é fundamental”, diz.

Graziella Haverot, professora de matemática da escola Jaco Anderle, complementa: “a intervenção da família na escola faz com que o aluno se sinta mais seguro no ambiente escolar. A presença dos pais faz com que o trabalho dos professores e da instituição seja mais fácil porque os alunos sentem-se apoiados tanto pela escola quanto pela família”.

Segundo Deschamps, esse movimento da família na escola resulta muito do trabalho de parceria dos catarinenses e da sociedade de abraçar a questão educacional. “O movimento Santa Catarina pela Educação prova que é possível unir setor público, o terceiro setor, a iniciativa privada e a sociedade de maneira geral em prol da melhoria cada vez mais da educação”.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte, destaca que a família influencia no rendimento escolar dos alunos. “Por isso, estamos fazendo esse movimento e conclamando todos os pais a acompanharem a vida escolar dos filhos. Isso traz resultados muito positivos para o estudante na formação escolar e, mais tarde, como cidadão e como bom profissional”, afirma lembrando que esse entendimento está se disseminando nas escolas do SESI e do SENAI e nas escolas públicas. “Queremos formar bons profissionais, mas também bons cidadãos que se integram na sua comunidade e oferecem uma parte do seu tempo para trabalhos voluntários, além da ética e da responsabilidade social que fazemos questão de discutir e repassar para nossos alunos”, evidencia.

Katiane Martinez, mãe de Nicole, salienta que sempre participou com a filha em todas as atividades. “Estar presente é sinal que amo minha filha, acompanhando o que ela está fazendo, porque, na verdade, o que vamos deixar de herança são os estudos. Então tem que participar. Acompanho os trabalhos de aula, venho direto na escola, converso com diretores e coordenadores”. E a filha, lembrando que o pai também é presente, completa: “é muito bom ter o acompanhamento. Acho que todos os pais deveriam fazer isso”.

Para Ari Rabaiolli, presidente da Fetrancesc, entidade que integra o Movimento Santa Catarina pela Educação, a iniciativa “aproxima e integra pais, educadores, filhos e a direção das escolas. Essas atividades disponíveis pelo Sistema S para com os alunos é de fundamental importância”.

Bolsa de Estudo
Durante a visita à Escola Estadual Jacó Anderle, Côrte, Deschamps e o presidente da Fundação Esag, Constantino Assis, assinaram termo de cooperação para o fornecimento de bolsas de estudo no Curso Técnico em Automação Industrial do SENAI em Florianópolis. Serão 40 bolsas integrais concedidas pela FSAG a estudantes da escola Jacó Anderle, com critério de seleção será pelo índice de carência. As aulas começam nesta segunda-feira, 10. O secretário Eduardo Deschamps destaca que a cooperação é um exemplo da articulação realizada pelo Movimento Santa Catarina pela Educação. "Esse programa de bolsas que foi assinado permite o desenvolvimento educacional dos nossos jovens, unindo esforços entre todos os atores da sociedade”, declarou.


Tags: Santa Catarina SC