NOTÍCIAS

Minas Gerais 12:02, 24 nov 2015 1º Caminhada da Promoção Igualdade Racial reúne 450 estudantes na Cidade Administrativa em Belo Horizonte (MG)

Foto:

Evento aconteceu também em todo o estado, mobilizando mais de 160 mil estudantes na Região Metropolitana e interior de Minas Gerais

O ambiente sóbrio e formal da Cidade Administrativa de Minas Gerais foi tomado por crianças e jovens estudantes de escolas estaduais. O céu ganhou as cores de bandeiras africanas com centenas de balões verde, vermelho, amarelo e preto. Esse movimento, realizado na sede administrativa do Governo do Estado na manhã desta sexta-feira, dia 20 de novembro, foi um marco da mobilização pelo Dia da Consciência Negra. Cerca de 450 estudantes participaram da 1ª Caminhada da Promoção da Igualdade Racial, evento promovido pela Secretaria de Estado de Educação (SEE), com a parceria da Secretaria de Estado de Esportes e a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Social, com o objetivo de promover a igualdade racial e o respeito à diversidade e destacar o importante papel do negro na sociedade. 

Em uma iniciativa inédita no Estado, o evento mobilizou mais de 160 mil alunos de cerca de 800 escolas da rede estadual, sendo que todas as 47 superintendências regionais de ensino (SRE) de Minas Gerais promoveram caminhadas em seus municípios. Na Cidade Administrativa, participaram da caminhada alunos de 10 escolas da região de Venda Nova e dos municípios de Ribeirão das Neves, Santa Luzia e Vespasiano, que integram a SRE Metropolitana C. Essa atividade faz parte da Campanha AfroConsciência, lançada em março deste ano pela SEE, que difunde o importante papel que a cultura e a história africanas desempenha na formação da identidade e da diversidade do nosso País. 

Cerca de 450 estudantes participaram do evento que tinha como o objetivo de promover a igualdade racial e o respeito à diversidade e destacar o importante papel do negro na sociedade. Foto: Igor Ribeiro

Muito animada no meio dos estudantes, a secretária de Estado de Educação, Macaé Evaristo, salientou a importância desta agenda para as crianças e jovens mineiros. “O que buscamos com essa iniciativa é destacar a necessidade de trabalharmos cada vez mais por uma convivência democrática, pela promoção da igualdade e o respeito, reafirmando os valores da afroconsciência na sociedade para dizer que é muito importante que a gente conheça e reconheça a nossa herança africana. Mostra que a gente pode e deve fazer um país mais respeitoso para todas as etnias e a escola tem um papel estratégico nisso”, relata Macaé. Participaram também da caminhada o secretário Adjunto de Estado de Esportes, Ricardo Alexandre Sapi de Paula, e o Secretário de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania, Nilmário Miranda. 

A concentração começou às 8 horas da manhã, com a chegada dos ônibus trazendo os alunos. Em seguida, preparadores físicos da Secretaria de Esportes iniciaram um aquecimento com os estudantes para prepará-los para a caminhada de 2 quilômetros nas ruas internas da Cidade Administrativa. A preparação contou ainda com a participação do animador Russo, que empolgou os estudantes com hip hop: “Contra o racismo, contra a violência: resistência, resistência. Pela igualdade e a luta com freqüência: resistência”. Antes da largada, os balões coloridos foram soltos pelos estudantes para dar início à caminhada da igualdade. Enquanto a caminhada acontecia, estudantes grafiteiros da rede estadual da região da Pedreira Prado Lopes criavam um painel retratando os três prédios da Cidade Administrativa. 

O aquecimento para a caminhada contou com a participação de preparadores físicos da Secretaria de Estado de Esportes e com o animador Russo. Foto: Igor Ribeiro

Mobilização pela igualdade

A estudante Marinalva Ribeiro, que cursa o 3º ano do ensino médio da Escola Estadual Ari da Franca, no bairro Santa Mônica, estava empolgada com a oportunidade de participar do evento. “Eu acho que a consciência negra deveria existir todos os dias, o respeito mútuo pelas pessoas, mas ter essa data é importante para refletir o quanto o preconceito faz mal para a sociedade. A educação pela igualdade tem que ser desde a infância, ensinando que todos são iguais, para formar cidadãos mais conscientes, por isso é muito importante falar sobre esse assunto nas escolas”, declara a estudante.

O estudante do 2º ano do ensino médio da Escola Estadual Maria Carolina Campos, Bryan Silva, um dos participantes da caminhada, falou sobre a alegria de vestir a camisa da afroconsciência. “Todas as culturas têm sua importância e a cultura negra em especial me chama muito a atenção, acho muito rica e bonita. Eu acho que toda cultura devia ser estudada nas escolas, porque é o local que prepara a pessoa para o mundo”, diz Bryan, que é capoeirista. 

O evento foi promovido pela Secretaria de Estado de Educação, com a parceria da Secretaria de Estado de Esportes e a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Social. Foto: Igor Ribeiro

A aluna Izabelle Caroline de Almeida, do 2º ano do ensino médio da Escola Estadual Renato Azeredo, também comemorou a oportunidade de poder representar sua escola na caminhada. “O evento foi maravilhoso, sou muito feliz com a minha cor, tenho muito orgulho da minha raça. O racismo ainda é muito presente em nossa sociedade e eu acho que temos que falar sobre isso para que as pessoas aprendam a respeitar o outro. É na escola que temos mais oportunidade de aprender isso”, diz a estudante. O diretor da escola, Djalma de Oliveira, salienta o papel da escola na formação do cidadão consciente. “Quero parabenizar por este evento maravilhoso, que abre um leque de oportunidade para trabalhar esse tema e entender melhor esse assunto. A nossa escola foca muito a questão da criminalidade, dos preconceitos, temos um projeto que trabalha a mediação dos conflitos, a questão do respeito mútuo, a cultura da escuta. A escola é um local de aprendizado e quando ele aprende isso ele leva esse conhecimento para a vida toda, e propaga a ideia de dizer não ao preconceito e ao racismo”, contou o diretor. 

O superintendente da Metropolitana C, Igor Prieto de Andrade, comemorou a oportunidade de realizar esse movimento dentro da sede do governo do Estado. “Vir para a Cidade Administrativa é uma oportunidade para esses alunos que estão no entorno conhecer e democratizar esse espaço, especialmente em uma ocasião como esta, de discutirem a questão racial. Eles podem conversar sobre o tema, que até então pouco era trabalhado nas escolas e aprender a importância da cultura africana na formação da sociedade brasileira”, diz Igor. 

Após a caminhada, cada escola participante recebeu das mãos da secretária de Educação um selo da AfroConsciência. Foto: Igor Ribeiro

Para a secretária Macaé Evaristo, a afroconsciência não é uma questão só para os negros, mas para toda a sociedade brasileira. “Só vamos conseguir o respeito se ele for recíproco, então precisamos falar sobre isso e conscientizar nossas crianças e nossa juventude. Hoje estamos com essa caminhada, muitos estudantes envolvidos e sabemos que estamos na pauta, mas precisamos fazer com que isso esteja em pauta todos os dias”, finaliza a secretária. 

Após a caminhada, cada escola participante recebeu das mãos da secretária de Educação um selo da AfroConsciência. Motivo de muito orgulho para o diretor da Escola Estadual Carmélia Gonçalves Loffi, Renato Amarante. “O selo representa para nossa escola o que temos de mais valioso, que é a diversidade, a miscigenação da nossa comunidade. Representa os direitos de igualdade e respeito à todos”, declarou o diretor. Para finalizar, os estudantes visitaram o caminhão museu Sentimentos da Terra, um projeto itinerante da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com trabalhos e exposição da história agrária do Brasil.

Foto:Igor Ribeiro

Fonte:  www.educacao.mg.gov.br

Tags: Minas Gerais MG Promoção da Igualdade Racial Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais